Wayúu Bags: a moda como ilusão de consciência socialModa

Wayúu Bags: a moda como ilusão de consciência social

wayúu bolsa a gambiarra - 1

Já sabemos de cor como se lança uma tendência para a próxima estação; e com as bolsas colombianas conhecidas como Wayúu Bags não poderia ter sido diferente. Gente famosa como Katy Perry e Alessandra Ambrósio – além das it girls – começaram a usar e a bolsa, que havia recebido comentários extremamente negativos por parte do público geral, ganhou o coração de quem é ligado em tendências e o closet de quem se importa com elas.

wayúu bolsa a gambiarra - 5

Assim como a Louis Vuitton celebrou a África em 2010, mais uma vez a moda regional ganha o mundo através do marketing que repagina o que então seria imperialismo explícito – se não uma exploração direta da cultura alheia, remunerada em um valor ínfimo que é pago pelas bolsas que, nas mãos das lojas lançadoras de tendência, ganham preços exorbitantes. E claro, encontram compradoras ávidas pelo exótico e pelo visual étnico, porque a publicidade de moda quis que assim fosse o visual do verão.

Os fatos acima não são novidade até para ninguém, mas não deixam – ou não deveriam deixar – de nos levar a reflexões acerca dessa apropriação de cultura que a moda faz, no intuito de corresponder ao que os consumidores buscam – ou acham que buscam.

wayúu bolsa a gambiarra - 4

As lojas que vendem a tal bolsa prometem até ajudar a comunidade Wayúu, na Colômbia, por meio da compra das bolsinhas artesanais que levam até 20 dias em sua confecção e são compradas por 50 dólares na fundação. Chegando às lojas, por exemplo no Brasil, são vendidas em média por 600 reais; na Europa chegam a custar 225 euros. A Zara, como era de se esperar, já possui sua réplica; em breve a bolsa deve chegar também nas similares C&A e Renner, garantindo pelo menos mais um ano de permanência das tais bolsas nas ruas.

wayúu bolsa a gambiarra - 2

Em casos como esse, é interessante ver como a observação das tendências de moda nos permite levantar algumas questões de ordem social. Por meio de seus mecanismos, ela nos prende cada vez mais a essa cadeia, na qual queremos estar cada vez mais inseridos – ainda que de forma ilusória.

Posts Relacionados

Facebook Comments