O retorno de Mel Gibson ao holofotes de Hollywood após exílio de 10 anosCinema

O retorno de Mel Gibson ao holofotes de Hollywood após exílio de 10 anos

No último domingo, 26, foi realizada a 89ª cerimônia de entrega do Oscar em Los Angeles. Conhecido por premiar os principais artistas do ano, o evento também trouxe à tona questionamentos e a volta de grandes artistas aos holofotes de Hollywood.

O retorno mais inesperado talvez tenha sido a do ator e produtor Mel Gibson, que após se envolver em dezenas de escândalos, voltou ao tapete vermelho e já possui inúmeros projetos à vista.


Leia Mais:


A volta de Mel Gibson com ‘Até o Último Homem’

Um dos nomes mais comentados do ano foi o ator e produtor Mel Gibson. Afastado há dez anos, ele já foi acusado de racismo, misoginia e homofobia e, neste ano de 2017, voltou aos tapetes vermelhos garantindo ao seu longa Até o Último Homem seis indicações ao Oscar, incluindo o de Melhor Direção.

Recentemente, o The New Yok Post fez um artigo falando sobre a volta de Gibson. A conversa rolou entre o jornal e David Permut, membro da Academia, que também é um executivo da produtora que assina com o diretor.

Além disso, Permut é um dos produtores de ‘Até o Último Homem’, indicado ao Oscar de Melhor Filme nesse ano.

Os escândalos envolvendo Gibson voltam à tona após uma década

Alimentado pelo álcool, as coisas saíram dos trilhos em 2006. Quando ele foi pego perto de Malibu, Califórnia, Gibson disse a um policial, “Os judeus são responsáveis ​​por todas as guerras do mundo”. Ele ainda chamou uma policial presente no local de “seios de açúcar” e gabou ser o dono de Malibu.

Um mês depois, ele se separou de sua esposa depois de quase três décadas. Em 2010, as transcrições vieram à tona de rituais misóginos e racistas, gravados pela ex-namorada Oksana Grigorieva, com citações que incluem “Se você for estuprada será culpa sua”.

Mel-Gibson-agambiarra-2

Para completar, ela ainda alegou ter sido vítima de violência. Gibson, na época afirmou que tinha batido em Grigorieva para fazê-la parar de sacudir a filha. Depois de muita discussão ele não recebeu nenhuma punição e até hoje ninguém entende o que realmente rolou.

Todos os escândalos refletiram diretamente na carreira do ator. Ele foi afastado de inúmeros projetos, incluindo o segundo filme da trilogia Se beber não se case.

Tudo mudou até que ele dirigiu Até o Último Homem, a história real de um soldado da Segunda Guerra Mundial que se recusou a usar armamento, mas salvou 75 vidas.

Mel-Gibson-agambiarra-3

O produtor contou em entrevista:

Mel foi mal interpretado por tantas pessoas. O homem estava em uma crise de vida na época: um divórcio doloroso, alcoolismo, e Hollywood se virou contra ele.

Mas quando Lionsgate viu o filme finalizado em em abril de 2016, o estúdio disse:

Você recebe um lançamento de novembro e uma campanha no Oscar. Depois de dez minutos de ovação em pé no Venice Film Fest no verão passado, eu sabia que Mel estava de volta.

Os amigos afirmam que Gibson, que atualmente está com 61 anos, está diferente agora. A maior mudança, disse um dos amigos, “é Mel parou de beber. Então ele pediu desculpas e doou milhões a causas judaicas.”

Ele também disse estar feliz com sua namorada de dois anos, a roteirista Rosalind Ross. A jovem de 26 anos deu à luz seu filho, Lars, na mesma semana em que foram anunciadas as nomeações para o Oscar.

Os projetos futuros

Atualmente, Mel Gibson acabou de filmar O Professor e o Louco com Sean Penn. Ele irá também estrelar em Daddy’s Home 2. Ele também está produzindo um programa de TV, The Barbary Coast, estrelado por Kurt Russell e Kate Hudson. Há ainda a grande possibilidade dele dirigir a sequência de Esquadrão Suicída.

Finalizando o assunto, o membro da academia disse:

Eu não o perdoo. Eu também não perdoo Woody Allen. Mas em algum ponto, você tem que separar o artista da arte.

Posts Relacionados

Facebook Comments