Entenda as referências do clipe de ‘This Is America’, de Childish GambinoMúsica

Entenda as referências do clipe de ‘This Is America’, de Childish Gambino

No último fim de semana, Childish Gambino foi co-host e convidado musical do Saturday Night Live. Na ocasião ele decidiu lançar seu primeiro trabalho desde o aclamado álbum Awaken, My Love!, de 2016. Ele apresentou ao mundo a obra-prima This Is Americaque chegou acompanhado de um clipe político e muito necessário.

Além de This Is America, o artista também apresentou uma outra faixa inédita ao vivo, chamada Saturday. Saiba mais aqui.


Leia mais:


Entenda porque Childish Gambino construiu uma obra-prima com o clipe de ‘This Is America’

Childish Gambino, mais conhecido como Donald Glover, é um artista brilhante e conseguiu mais um feito com o clipe de This Is America. Além de apresentar um clipe impecável, ele ainda introduziu várias referências. Ou seja, ele mete o dedo na cara da “América” para tratar de um assunto muito sério, o racismo.

Jim Crow

Já no início do clipe, os movimentos do artista lembram o personagem Jim Crow, criado pelo comediante norte-americano Thomas D. Rice. Ele era conhecido por se apresentar com o corpo pintado de preto, mostrando um estereótipo do escravo como uma pessoa burra e preguiçosa. Além disso, o seu nome também serviu como “apelido” para as leis de segregação racial aplicadas nos Estados Unidos.

O homem que aparece na primeira cena pegando o violão se parece com o pai de Trayvon Martin. Logo depois aparece um outro jovem na mesma cadeira, fazendo uma homenagem a Martin, de 17 anos, que foi morto a tiros por um policial em 2012.

Depois do tiro, um rapaz bem vestido traz um tecido para limpar e guardar a arma usada. Enquanto isso, o homem morto é arrastado. Isso mostra que o negro vale menos que a arma.

A morte do coral

A coreografia do vídeo foi feita pela coreógrafa Sherrie Silver, especialista em dança africana. O figurino dos dançarinos são uma referência às utilizadas pelos estudantes presentes no Levante de Soweto, na África do Sul, em 1976. Esses estudantes negros foram às ruas protestar por um sistema de educação que desse as mesmas condições para negros e brancos.

O assassinato do coral é uma referência ao massacre de 2015 na Igreja Episcopal Metodista Africana de Emanuel, em Charleston, Carolina do Sul.

Os carros antigos

No final do vídeo, carros de duas a três décadas atrás ganham o foco. Isso pode ser uma referência a Philando Castile, que foi assassinado em seu Oldsmobile em 1997. Também pode mostrar a realidade distorcida que é vendida pelos rappers, que são os negros como milionários, com carrões e fumando maconha.

Corra!

Por fim, o artista corre desesperadamente dessa realidade vivida por ele na “América”.

Posts Relacionados

Facebook Comments