Game of Thrones, a gente te ama, mas está difícil te defenderSéries & TV

Game of Thrones, a gente te ama, mas está difícil te defender

Ok, ok. Todo mundo ama Game of Thrones. É uma das maiores audiências de todos os tempos, e o universo de George R.R. Martin é realmente incrível. Mas temos que ser sinceros: tem muita coisa enchendo o saco.


Atenção: esse post terá um monte de SPOILERS. E reclamações.


Não me levem a mal, eu não sou dessas fãs que reclama de coisas como ‘ah mas o Robb nos livros era ruivo e etc’. Até já superei a Catelyn não ter voltado como Lady Stoneheart (algo como Senhora Coração de Pedra). Mas tem coisas que simplesmente não está dando.

Primeiro: o desenvolvimento dos personagens. N’As Crônicas de Gelo e Fogo, a ideia é que não haja vilões e mocinhos. A ideia é construir personagens reais, que cometem erros e acertos, e que vão aprendendo e evoluindo conforme a série avança.

Por exemplo, Jon traiu sua amada em prol da Patrulha da Noite, e depois ‘traiu’ a Patrulha. Cersei é bem escrota e louca, mas faz tudo para proteger aqueles que ama. E Daenerys, nos livros, é uma garota que se julga bem intencionada, mas taca fogo em quem discorda dela, que nem o Rei Louco.

Na série, Jon é herói de bom coração e inocente. Cersei, uma rainha má e louca que sequer chorou na morte de seu último filho. Já Dany é meio Princesa Isabel do fogo e só agora que Tyrion está começando a duvidar dela.


Leia mais:


Verossimilhança, ‘Game of Thrones’?

Game of Thrones, a gente te ama. Mas está difícil te defender

Aliás, por falar em Princesa Isabel, esse é outro ponto: todos na série são brancos. Não só como Daenerys, que passou anos como nômade e no deserto, mas tem aquela cútis de Elsa de Frozen, mas como todo o resto. São pouquíssimos os personagens negros: além de escravos, temos alguns dothratki e o guarda-costa de Dorne.

Não me venham com ‘ah, mas se passa na Idade Média, seria inverossímil’ porque não se passa sequer no nosso mundo. Segundo porque dragões e mortos vivos são super verossímeis, não? Terceiro porque mesmo núcleos que deviam ser negros e latinos, como Dorne, têm bastante atores brancos.

Inclusive, ainda bem que todo o núcleo de Dorne se foi: com exceção de Oberyn e Ellaria, todos eram insuportáveis. Contudo, a HBO percebeu isso bem rápido.

A HBO pode mais

Game of Thrones também tem insistido em dramas meio imbecis. Eu entendo trabalhar a questão de Sansa com inveja de Jon, mas ela e Arya estarem bancando Amigas & Rivais como se fossem crianças ainda é cansativo e inesperado. Cadê aquele papo de ‘o lobo sobrevive na matilha’? Pra não falar de toda a ladainha de Cão de Caça até encontrar Jon Snow.

Game of Thrones, a gente te ama. Mas está difícil te defender

Sem falar em #Jonerys, um casal que tem zero química e estão insistindo sabe-lá-deus-porquê. Se fosse pra ver casal medieval sem graça, a gente podia ver a nova novela da Record. O nível da maioria dos atores está bem parecido mesmo, né, Emilia Clarke?

Além disso, parte da emoção da série era saber que ninguém estava a salvo da morte, nem mesmo o protagonista, como Ned. Agora, personagens passam por momentos perigosos e escapam ilesos, como Bronn nadando com Jaime de armadura de ferro, mão de ouro, por mais de 30m sem que o exército de Daenerys o visse.

Game of Thrones não deveria ser só sobre cenas de ação, disso Hollywood está cheia. Não dá pra manter uma série dessa magnitude sem diálogos interessantes, e até mesmo cenas mais coerentes. Depois da sexta temporada enrolando, parece que resolveram correr. Vocês conseguem fazer melhor.

Posts Relacionados

Facebook Comments