Disney comprou a Fox: o que muda para os serviços de streaming como Hulu e NetflixBuzz

Disney comprou a Fox: o que muda para os serviços de streaming como Hulu e Netflix

Com a compra da Fox pela Disney, muitas coisas devem mudar para os serviços de streaming. Especialmente dois dos maiores do ramo: a Hulu e a Netflix.

É que, com a aquisição da Fox, a Disney também ganhou 60% das ações do Hulu, ou seja, a controladora da plataforma. Entretanto, não precisa se preocupar: a Hulu não vai virar um o serviço de streaming da criadora do Mickey. Pelo menos é o que confirmou o CEO Bob Iger, em entrevista ao The Wrap.

Acreditamos que é possível que o consumidor possa ser exigente em relação aos produtos que quer. Alguns podem querer só conteúdo para a família, outros apenas esportes ou conteúdo adulto. Alguns podem querer tudo, inclusive, e certamente disponibilizaremos isso. Não acho que você deva olhá-los necessariamente como negócios individuais. Queremos expandir as escolhas e opções dos consumidores. Veremos. Se tivermos oportunidades – obviamente o consumidor terá a oportunidade de adquiri-los em conjunto.


Leia mais:


Disney não deve renovar licenças da Netflix

E não é só a Hulu que vai sofrer impactos: a Netflix deve ser bastante abalada. O primeiro e mais claro motivo é que serviços de streaming funcionam, majoritariamente, como distribuidoras. Ou seja: se uma grande empresa como a Disney controla a maior parte das produções, fica mais difícil ter acesso a elas.

Ainda mais agora que a gigante vai ter o próprio serviço de streaming. A Disney não vai renovar as licenças da Netflix, que vence em 2019. Ou seja: tudo vai sumir do catálogo. Para evitar um dano tão grande, a Netflix está negociando as parcerias com a Marvel e da Lucasfilm, como os filmes de Star Wars e as séries d’Os Defensores.

disney streaming netflix

Mas não se engane achando que a Netflix não esperava por isso: a empresa investido pesado em produções próprias, e não por acaso. A meta é que, até 2020, 50% do catálogo do serviço de streaming seja produção própria, ou então, negociado diretamente com os produtores.

E também deve sobrar para a Amazon Prime: 9% dos programas mais assistidos desse catálogo são da Fox e da Disney. Não tá fácil pra ninguém.

Posts Relacionados

Facebook Comments