‘Corpo Elétrico’: filme nacional sobre a realidade de um gay nordestino estreia essa semanaCinema

‘Corpo Elétrico’: filme nacional sobre a realidade de um gay nordestino estreia essa semana

Com uma produção da Vitrine Filmes, a mesma de Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, o aguardado filme Corpo Elétrico tem estreia marcada para quinta-feira, 17 de agosto.

Corpo Elétrico filme nacional sobre a realidade de um gay nordestino estreia essa semana

O filme acompanha Elias, um jovem que tenta equilibrar seu cotidiano entre o trabalho em uma fábrica de vestuários e encontros casuais com outros homens.  Em cada cama que Elias se deita um universo se abre a partir das narrativas contadas pelos personagens. São corpos enlaçados que se acariciam, vozes que falam baixo e suavemente, amantes que relatam encontros, aventuras sexuais, sonhos.

Discussões dentro do filme

Elias tem 23 anos é gay e nordestino. Ele usa cada encontro para moldar um pouco sua personalidade se tornando uma espécie de prisma humano, capturando tudo que pode de seus parceiros. Ele transita entre o masculino e o feminino, pode ser o trabalhador empenhado, mas também um anarquista debochado. Dessa forma, o filme também questiona os lugares socialmente estabelecidos para gays, negros, mestiços, migrantes, operários.

Corpo Elétrico filme nacional sobre a realidade de um gay nordestino estreia essa semana


Leia mais:


‘Corpo Elétrico’ tem direção de Marcelo Caetano

Corpo Elétrico tem direção de Marcelo Caetano. O filme estreia nesta quinta-feira nas cidades de Aracaju; Brasília; Florianópolis; Fortaleza; Goiânia; João Pessoa; Maceió; Niterói; Porto Alegre; Recife; Rio Branco; Rio de Janeiro; Salvador; São Luiz; São Paulo e Teresina.

Marcelo Caetano foi produtor de elenco de um dos filmes mais aclamados do ano passado, Aquarius de Kleber Mendonça Filho, além de ter colaborado como assistente de direção de Gabriel Mascaro em Boi Neon. Ele disse em comunicado o que quis mostrar em Corpo Elétrico:

Meu desejo era falar de formas de amar mais livres e generosas, distante do amor romântico e seus conflitos já tão manjados.

Sobre o personagem principal, ele ainda acrescentou:

Ele apresenta resistência a viver determinados conflitos por não acreditar no valor que o sucesso profissional e a felicidade conjugal têm em nossa sociedade.

Posts Relacionados

Facebook Comments