A moda e a sua expressão políticaModa

A moda e a sua expressão política

image-4

Em meio a tantos protestos acontecendo pelo Brasil, parece tão fútil falar sobre moda, não é mesmo?! No entanto, devemos lembrar que moda não é só look do dia. Mas sim, uma atividade comercial, que como qualquer outra, visa o lucro e que assim como a passagem do ônibus ou o pagamento de impostos, está presente na vida de todas as pessoas.

Em diversos momentos históricos a moda teve seu papel. Foi assim na Revolução Francesa, onde a burguesia usou calças sem culotes para se diferenciar da nobreza, os chamados “sans-culotes”. Coco Chanel cortou as madeixas e vestiu calças simbolizando a busca da independência feminina. Sutiãs foram queimados. Sapatos de salto e batons também. Os punks, além de customizarem suas roupas cortando-as e colocando alfinetes, escreviam mensagens nelas.

Photo_sans-culottes_001

Os sans-culottes, burgueses da revolução francesa

Coco Chanel foi uma das primeiras mulheres a usar calças

Coco Chanel foi uma das primeiras mulheres a usar calças

1

As roupas customizadas e carregadas de mensagens dos punks

E hoje? Temos diversos problemas no sistema da moda. No Brasil, podemos facilmente levantar dois sérios: o trabalho escravo e as altas cargas tributárias. Exportar moda brasileira além de ser um trâmite complicado é muito caro, ou seja, pouquíssimas são as marcas que conseguem sair do país. Para as que conseguem exportar, isso significa muito mais um investimento na identidade e valor da marca do que em retorno financeiro. Ou seja, o “povo das modas” também têm problemas e precisam lutar pelo fim deles.

spfw-cade-os-negros-agambiarra

Apesar de termos visto em uma edição passada do SPFW, um protesto ao final do desfile da Cavalera, infelizmente, no geral, o que se vê é uma apatia generalizada das nossas marcas. Parecem ter se conformado e perdido a vontade de contestar. Nenhuma marca quer levantar uma bandeira pra valer. Preferem permanecer neutras e deixam de lado todo o poder de comunicação que têm, talvez por medo dos consumidores não aprovarem, ou por desinteresse. Cadê as marcas de personalidade? Que venha o SPFW e nos surpreenda!

Posts Relacionados

Facebook Comments